SEGURANÇA DO PACIENTE

Eu queria ser médico. E quando eu era mais novo fiz teste vocacional. Minha mãe pegou meu teste, olhou e falou:

  • Você tem talento pra ser médico
  • Sério?
  • Sério. Sua letra é horrível.
    Uma vez eu passei num médico que tinha a letra tao feia que ele me receitou um dipirona e eu acabei levando um viagra. Passei a noite inteira transando e espirrando.

E minha irmã é médica e ela me contou que tem uns procedimentos de identificação, que o primeiro procedimento é vc ter a certeza por documentos de que o paciente que vc vai atender é o paciente correto. 
Eu falei: 

  • Ué, mas nao dá pra saber só olhando?
  • No Japão, não deu certo.

Paciente correto – Ele ta sempre com a razao, ta sempre corrigindo o médico
Sábado, nao vai ser possível pra mim operar – pra eu operar, mim nao faz nada. vc nao eh índio
Por q vc ta aqui? 
Pq junto ou separado?
O médico pensa: esse eu vou operar sem anestesia.

E a pessoa que é atendida tem direito a escolher como quer ser chamado. É o tal “Nome Social”. Quando eu soube disso, me deu uma vontade de zuar.
Me perguntam: Como vc quer ser chamado? Eu: “Bota aí ‘Batman’. Me chama de ‘Gostosão 22’.”
A pesso me pergunta:

  • É a sua idade?
    Eu: Não, não é não.

E no hospital, eles dão uma pulseirinha de identificação com seu nome, os dados, etc. Esses dias eu entrei num hospital, a enfermeira falou:

  • Vc ja passou aqui? Você já ta com a pulseirinha.
  • Nao, é que eu tava no Villa country.

E eu acho que a balada e o hospital tem muita coisa em comum. Porque em ambos a hora que eu entro perguntam meu nome, me dão uma pulseirinha e vira e mexe eu saio carregado dos dois.

Mas esse negócio de saber o nome exato da pessoa é importante pra vida. Eu perguntei pra uma menina:

  • Seu nome é Viviana ou Viviane?
  • É Carol

Outra história bizarra é que um cara fã de Grey’s Anatomy foi preso porque se passou por médico. Vestiu o jaleco e se fez de médico. Mas ele não fez nenhum procedimento. Porque ele se fantasiou de médico do SUS.

E o pior, ele não foi preso. E fez isso de novo. Fez isso 2 vezes. Acho que esse cara ta viciado. O cara fica:

  • Alguém tem um jalequinho aí? Tem: Só unzinho pra mim. Tem? Um do Branquinho?
    O cara é o Fábio Assunção da Medicina.

E tem um caso grave de médico que esqueceu a tesoura dentro do paciente. Eu pensei: Gente, mas será que o médico nao tinha uma mesinha do lado pra apoiar? O que ele pensou:

  • Vou deixar aqui do lado do rim. Não vou esquecer.
    Gente, que dó isso, né. Sério, esquecer a tesoura dentro de uma pessoa é algo de cortar o coração, né.
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

Gostou do Conteúdo? Deixe seu comentário abaixo

🤔 Quero contratar, mas nunca trabalhei com Stand Up Comedy, por onde começar?

👉 Para começar é necessário saber as respostas das seguintes perguntas:

Qual a duração?

Trabalhamos com apresentações de 10 a 70 minutos, entretanto, segue abaixo o recomendado.

Almoço/Jantar/Happy Hour/Comemorações: 20 a 30 minutos. Por que? O foco será outro e o show um plus, por isso, não é recomendado exagerar na duração para não cansar a platéia.

Evento Corporativo:  30 a 40 minutos. Por quê? Geralmente eventos corporativos são mesclados com premiações e palestras.

Mestre de Cerimônias: Diversas pequenas entradas, com apresentações curtas entre cada palestra ou atração. Indicado: abertura de 15 minutos+ entradas de 3 a 5 minutos, no máximo.

Antes do show, o que é necessário fazer?

É necessário que alguém da organização suba ao palco e explique à plateia o que irá acontecer e leia um breve currículo do comediante para chamá-lo ao palco

Obs: o ideal é que o público JÁ saiba (por divulgações anteriores) que irá rolar um show de humor naquele dia. É melhor que não seja surpresa.

Qual o local ideal? E como devo organizar as cadeiras?

O local mais indicado para o show é um teatro ou anfiteatro. Mas, obviamente, é possível fazer em outros locais, como salões de festas, salas de reunião, buffets, etc. Porém quanto mais parecido com um teatro o local for adaptado, melhor. Ex: plateia toda escura, palco iluminado pelo foco de luz, cadeiras BEM próximas do palco e direcionadas a ele (nenhuma cadeira de costas pro palco).

Do que eu preciso? Qual a estrutura geral necessária? (Todas por conta do contratante)

- Um palco com, no mínimo, 3x2 metros com 40 cm de altura;

- Iluminação de palco com 2 refletores (elipsoidal);

- Dois microfones com ou sem fio e um pedestal girafa (Shure ou Similar);

- Uma banqueta de bistrô

- 2 Caixas de som

E o som?

As caixas de som precisam ser compatíveis com o tamanho do ambiente. Marcas boas: Electro Voice, Yamaha, Antera.

E a luz?

O mais indicado é um canhão de luz. Indicamos um PC ou Fresnel de 1.000 watts, que deve ser colocado de frente ao comediante, colocado na altura do olho (no fundo do local, máximo 20m do palco).

Importante: as luzes vindas de baixo ou dos lados geram sombras no rosto e não geram a iluminação total do artista. Portanto, não são indicadas.


O evento não é em São Paulo. Tem problema?

Não! Entretanto, todos os custos com relação a passagens aéreas, transporte, alimentação e hospedagem será por conta do contratante e nunca do contratado.


Qual a forma de pagamento padrão?

50% no ato da assinatura de contrato;

50% em até 7 dias úteis anteriores ao evento


Emite nota fiscal?

Sim